30/04/2014

Uma carta a "Ana".

                                                                Foto: weheartit

      Ana com seus 15 anos e seu tênis velho, costumava descontar suas frustrações enquanto dava piruetas nas aulas de Ballet, algum tempo depois descontava em cada passo novo da aula de Hip Hop ela sempre caminha em direção a Artes, tinha mania de imaginar historias triste e depois escrever sobre elas, ela absorvia as vibrações do mundo, podia ficar imensamente feliz ou triste por algo que aconteceu a quilômetros dela.
     Mas quando ela fechava os olhos e deixava a musica penetrar em seu corpo, se apropriar de sua alma, ela não era mais a Ana, ela era livre: não tinha nome, não tinha regras, não tinha expectativas, se sentia flutuando a cada passo, a cada giro, a cada virada na musica e no fim sempre se imaginava  no centro palco com todos a aplaudindo de pé. Porque era isso que queria, queria fazer algo grande com a sua vida.
    Era uma pena ela ser tão medrosa, era uma pena ela acreditar quando diziam que ela não era capaz, nunca entendi a insegurança de Ana, a falta de auto aceitação, pobre menina, aprendeu desde pequena que o mundo não tem magia e que na vida real o final feliz é um mero sonho. Eu era a Ana.
    Ai ouvi o conselho mais valioso que já foi dado por um estranho, era algo do tipo: "Você tem um brilho incrível menina, pena que não acredita nele, você pode ser exatamente quem quiser, um dia vai crescer e entender que não precisa corresponder as expectativas alheias e que a vida é um grande jogo, não dá para ganhar sempre, mas dá para pedir revanche. E ganha mais quem aprende algo do que quem leva o troféu pra casa".
   Agora eu sei exatamente aquilo que ninguém te diz: Que você não precisa ter sonhos fabricados, que acreditar no seu brilho não é forma alguma se sentir superior as outras pessoas, que na vida nem todas as escolhas serão as certas e que não precisa ter medo de se machucar, porque você vai de uma maneira ou outra se magoar faz parte, mas você pode escolher por quem vale apena sofrer e quais batalhas vale a pena lutar, sua vida depende só de você e os outros, bem eles vão falar de qualquer maneira. Então se puder deitar a cabeça no travesseiro e dormi em paz ta tudo certo!
   Essa é uma carta para as "Ana" (um nome meramente ilustrativo) porque eu sei oque é ser vocês!

4 comentários:

  1. Aaaai mds amei esse texto na, super me identifiquei com ele. Parabéns você escrever super bem! Amei o seu blog.


    www.keep-calm-girls.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que lindo o texto, adorei!
    Parabéns pelo blog :)
    Beijos,
    Ana Beatriz
    www.blogdaninha.com.br

    ResponderExcluir
  3. Me arrepiei aqui, sério, demais!
    Me indentifiquei super!
    http://www.surejustnot.com/

    ResponderExcluir

Olá! Fique a vontade para comentar, sua opinião é muito importante para mim.
- Responderei e retribuirei todos os comentários assim que possível.
- Vou olhar seu blog e se eu gostar irei te seguir então não precisa comentar: "estou te seguindo, retribui?", esse tipo de comentário será ignorado.
- Não é permitido termos ofensivos ou abusivos, se você achou que de alguma forma o blog ou alguma postagem foi ofensiva por favor me encaminhe um e-mail.